Mafia de Cuba

 
 
 
6-12
 
10+
 
20 min
 
Designer: Philippe des Pallières, Loïc Lamy
Mecânicas: Dedução Social, Blefe
Lançado em 2015 pela Lui-même, Mafia de Cuba é um jogo de blefe e identidades secretas em que um poderoso mafioso tenta descobrir quais de seus capangas roubaram seus preciosos diamantes e quais permaneceram fiéis a ele. O jogo se destaca por não utilizar tabuleiro: a própria caixa do jogo é passada de mão em mão, como se fosse uma caixa de charutos cubanos. Mafia de Cuba foi trazido para o Brasil em 2016 pela Galápagos.

No começo da partida, determina-se quem será o chefão. Ele deverá colocar os 15 diamantes e as fichas de personagem correspondentes ao número de jogadores dentro da caixa e as fichas de curinga à sua frente.

Mafia de Cuba é jogado em duas fases: roubo e interrogatório. Durante a fase de roubo, o chefão passará a caixa ao jogador à sua esquerda, que deverá examinar (e memorizar) o conteúdo, pegar alguma coisa secretamente e então passar a caixa para o jogador à sua esquerda. Quando a caixa retorna ao Chefão, a fase de roubo termina e começa a fase de interrogatório.

Durante a fase de roubo, os jogadores irão definir que personagens eles serão durante a partida, e isso será definido de acordo com o item a ser pego dentro da caixa de charutos. Nesta fase, os jogadores terão duas opções: ou pegar uma ficha de personagem ou quantos diamantes quiser (mínimo de 1). Caso o jogador tenha pego diamantes, ele será um ladrão, caso ele pegue uma ficha, ele será o personagem mostrado naquela ficha. Há também a possibilidade de um jogador receber a caixa vazia, caso isso aconteça ele será um menino de rua. As únicas exceções nesta fase são o primeiro e o último jogador: o primeiro jogador terá a opção de, além de pegar alguma coisa, descartar uma ficha de personagem dentro da bolsa de feltro. O último jogador pode optar por não pegar nenhum objeto e tornar-se um menino de rua. Ele é o único jogador que tem a opção de não pegar nada da caixa.

Na fase do interrogatório, o Chefão interroga livremente os jogadores para tentar descobrir quem roubou seus diamantes. Quando ele se sente que achou um ladrão ele deverá acusa-lo dizendo “esvazie seus bolsos”. O jogador que foi acusado deverá, então, imediatamente mostrar o que pegou da caixa. Caso o jogador seja um ladrão (se ele tiver pego diamantes) o Chefão recolhe os diamantes e o jogo continua. Caso ele erre e o jogador não seja um ladrão, ele pode gastar fichas de curinga para evitar perder o jogo. Se ele não tiver mais fichas de curinga, o chefão perde e o ladrão com mais diamantes vence a partida. É necessário, porém, ter muito cuidado ao acusar os jogadores, pois os jogadores poderão ser capangas leais (fichas brancas) ou pior: agentes da CIA e do FBI, que vencem se o chefão os escolher para esvaziar seus bolsos!

Uma partida de Mafia de Cuba acaba de três formas: se o chefão recuperou todos os diamantes, ele e seus capangas vencem. Caso um Agente do FBI ou da CIA sejam escolhido para esvaziar os bolsos, ele vence. E, finalmente, se o chefão for eliminado vence o ladrão com a maior quantia de diamantes.